domingo, 30 de março de 2014

A RODA - em Biodança



 A RODA 
- em Biodança -


A roda, em Biodança, assim como em inúmeras práticas de movimento, assume as mesmas qualidades simbólicas universais do círculo,  representando a totalidade, a perfeição, a eternidade , o dinamismo psíquico, o mundo manifestado e o movimento cíclico . A roda instala o sentido de unidade e de proteçãoFunciona como um salão de espelhos onde, no outro, podemos ver a nossa própria alma refletida, o si mesmo manifestado, encontrando-se vinculada também ao simbolismo da mandala e do uroboros, da meta equânime a ser alcançada, a conjunctio, a união dos opostos. Ela roda é uma unidade muito mais forte do que o resultado da soma das forças individuais.

 


Quando uma roda entra em movimento, ali está uma representação do micro mundo onde todos estão na mesma posição e voltados para o mesmo ponto. Tudo ali dentro é uma coisa só, circundada e ilimitada. Ela implica uma idéia de movimento contínuo, o que remete ao ciclo do tempo, ao movimento perpétuo de tudo que está vivo, à trajetória dos planetas em torno do sol e ao grande ritmo do universo.

Em seu aspecto luminoso, nos traz a sensação de pertença, acolhimento, desafio e virtuosismo.  Em seu aspecto sombrio nos traz o risco da mesmice, da inércia, do medo da mudança e do vício.

Suas inúmeras qualidades instalam o espaço sagrado onde grandes transformações podem acontecer, pois funciona como um caldeirão alquímico de celebração à eterna dança das esferas pessoais e/ou coletivas, à singular complexidade do silêncio pessoal ou do som essencial do vazio do mundo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário