domingo, 25 de março de 2012




QUIRON – o mito – a Maratona

Quiron representa a parte do ser humano que se eleva às questões do espirito para compreender o mestre espiritual que existe em cada ser humano. É o canal entre o instintivo e o espiritual. Era considerado como um Pontífice que significa "o construtor de pontes", que são os padres e os pastores que servem de guia espiritual, estabelecendo uma relação entre Deus e o homem. É o intérprete que esclarece a natureza das leis que regem a sintonia com o divino. As leis de Quiron, o Hierofante, dizem respeito a uma conduta verdadeira, dinâmica e cheia de vida.

Quiron não representa qualquer sistema religioso. Ele é uma criatura selvagem, metade homem, metade animal, que nos transmite uma lei individual em que o homem só se encontra no seu próprio mestre interior. Por isso, os seres humanos são convidados a experimentar deus no seu próprio corpo,  de uma forma individual, com o que Ele representa para cada um, traduzido como intenso prazer e vibração por estar vivo.

Os ferimentos de Quiron o transformaram no curandeiro ferido, aquele que, por meio de sua própria dor, é capaz de compreender a dor dos outros. Quiron representa a parte ferida de cada um simbolizada por alguma deficiência, limitação ou problema, que o torna benevolente em relação aos que o cercam, pois entende-lhes o sofrimento com compaixão.

O paradoxo se apresenta na forma do centauro, metade deus e metade cavalo, na capacidade de compartilhar o instinto e o espírito, contendo a dualidade própria da condição humana. Nunca o ser humano será capaz de ser totalmente humano e nunca será totalmente um animal, sendo importante integrar estas duas duas partes. Dessa mistura vem a sabedoria do centauro, libertar e abraçar o divino e as leis naturais.

01 a 03 de junho – Maratona de Biodança -  Fazenda Campo Verde – inscrições abertas
Facilitadora Hilda Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário